Fisioterapia Uroginecológica

A fisioterapia uroginecológica é uma especialidade da fisioterapia que tem como objetivo prevenir e tratar disfunções do assoalho pélvico através de um tratamento conservador, sem dor e sem efeitos colaterais.

O assoalho pélvico é composto por um grupo de músculos que têm como funções principais suportar os órgão pélvicos, realizar o controle da urina, o controle das fezes e participar da atividade sexual. Essa musculatura é de controle voluntário, mas nem sempre possuímos a percepção clara de como contraí-la ou relaxá-la. A fisioterapia ajuda neste reconhecimento, conseguindo então trabalhar os músculos certos e da maneira correta para seu fortalecimento.

Isto garante um funcionamento adequado dos esfíncteres urinário e fecal, previne ocorrência de prolapsos genitais e pode resolver problemas relacionados a sexualidade, como dor à relação, falta de prazer e vaginismo.

Obstetrícia/Fisioterapia para gestantes

A fisioterapia para gestantes deve ser iniciada desde o início da gestação, quando as mudanças no corpo da mulher começam a ocorrer, e se estendem até o período pós-parto. Está bem indicada e traz diversos benefícios tanto em parto Normal quanto em parto Cesárea.

Durante a gravidez, diversas mudanças físicas e psicológicas ocorrem no organismo da mulher. Essas alterações podem ser locais, acometendo útero, ovário, vagina, vulva e mamas ou podem envolver sistemas como o respiratório, circulatório e urinário. Ocorre que nem sempre essas mudanças são positivas, podendo causar problemas durante o período gestacional.

Um dos objetivos da fisioterapia em obstetrícia é o fortalecimento do assoalho pélvico, a musculatura que serve de sustentação para o útero e que participa do controle da urina e das fezes. Caso esse grupo de músculos não esteja fortalecido e bem trabalhado, pode haver sobrecarga e disfunção, tendo como principal consequência a perda involuntária de urina, o que é bastante comum, mas também perda involuntária de fezes, especialmente em fases mais avançadas da gravidez. Até 70% das gestantes podem apresentar incontinência urinária de esforço, quando perde-se urina involuntariamente após tossir, espirrar, dar risada ou abaixar-se, por exemplo.

Os exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico estão recomendados para evitar e minimizar esses distúrbios.

Além de atuar no fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico, a fisioterapia ajuda no ganho de flexibilidade. A expansão tecidual causada pela massagem perineal contribui para redução de desajustes musculoesqueléticos durante o período gestacional e ajuda a diminuir a incidência de traumas na hora do parto, tornando esse momento ainda mais fisiológico e natural. A mulher chega ao momento final da gestação mais preparada para o parto, garantindo um processo mais harmonioso e uma recuperação mais rápida.

Outra função bem estabelecida e com ótimos resultados da fisioterapia em gestantes é o combate ao edema. Edema é o “inchaço” que acomete principalmente os pés e pernas, mas também as mãos, devido ao aumento de líquido circulando no corpo da gestante. Através da técnica de Drenagem Linfática Manual otimiza-se o funcionamento do sistema circulatório, ajudando a diminuir o edema e assim dando mais conforto a paciente, além de ajudar em questões estéticas.

Procedimentos em Fisioterapia

Uroginecologia

  • Incotinência Urinária
  • Incotinência Fecal
  • Dor Pélvica
  • Prolapso De Órgãos Pélvicos
  • Constipação Intestinal
  • Disfunção Sexual

Obstetrícia

  • Preparação Para O Parto
  • Incontinência Urinária
  • Incontinência Fecal
  • Drenagem Linfática

Especialistas

  • Ananda Nacif Baiao Nunes – CREFITO: 24313
  • Mila Vaz de Carvalho Sampaio – CREFITO: 191591